“O BRT é um modal ultrapassado”, afirma deputada Maria del Carmen

18

Engenheira civil, a deputada estadual Maria del Carmen foi categórica ao afirmar que o sistema de transporte que a Prefeitura de Salvador tenta implantar na cidade é atrasado. Presidente da Comissão Especial de Desenvolvimento Urbano da Assembleia Legislativa da Bahia (CEDUrb/ALBa), a deputada discursou na sessão plenária desta quarta-feira (09), sobre a construção do Bus Rapid Transit (BRT) de Salvador.

Segundo Maria del Carmen, o modal, aplicado pela primeira vez em 1974 na cidade de Curitiba, era referência no transporte de massas até a década de 80, mas depois se tornou ultrapassado. “O BRT foi levado para outras capitais do Brasil e da América Latina por possibilitar o escoamento do trânsito. Acontece que o modelo parou no tempo. Hoje se discute como construir utilizando energia limpa em vez de petróleo”. A parlamentar ainda completa. “Além disso, o BRT vai ligar as estações Lapa a Rodoviária, coisa que o Metrô já faz. Outra consequência grave é a derrubada de árvores centenárias para erguer uma série de viadutos, comprometendo nossa paisagem”, destaca.

O sistema de transporte público que a Prefeitura de Salvador quer implantar promete levar o passageiro da Lapa até o Iguatemi em 15 minutos, mas com as Linhas 1 e 2 do Metrô já é possível realizar o percurso na mesma quantidade de tempo. “O Governo do Rio de Janeiro demoliu os elevados da região portuária da capital. Em São Paulo, alguns deles já foram demolidos e outros terão o mesmo destino. Vejo como absurda a implantação desse modal na nossa capital”, destaca del Carmen.

BRT de Salvador: O projeto prevê a derrubada de 154 árvores centenárias, além de tamponamento dos rios Camarajipe e Lucaia. Uma série de protestos vem sendo realizados na capital baiana e na internet contra a implantação do sistema. Artistas, professores, estudantes e especialistas em mobilidade urbana e sustentabilidade também criticam a instalação do modal na cidade.

Compartilhar